fbpx

TELHAS DE CONCRETO

COLORIDAS

Direto da Fábrica

TELHAS DE CONCRETO

COLORIDAS

Direto da Fábrica

previous arrow
next arrow
Slider

NOSSOS PRODUTOS

TELHAS DE CONCRETO COLORIDAS

As telhas de concreto Tegobras são ideais para quem quer realizar coberturas extremamente bonitas, modernas e duráveis. Possuem encaixes perfeitos, alta qualidade, facilidade de instalação e estão disponíveis em oito cores a sua escolha. Proporcionam economia para sua obra, proteção para sua família e deixam a casa ainda mais bonita e valorizada.

A Tegobras possui equipamentos modernos com tecnologia italiana, resultando em produtos de alta qualidade, que mantêm sempre as mesmas características de peso, dimensão, coloração, impermeabilidade e resistência.

DIFERENCIAIS

NOSSAS VANTAGENS

Beleza

Sua casa ficará muito mais bonita com um telhado combinando com o seu projeto.

Atendimento

Assistência plena, rapidez na entrega e agilidade nas trocas e reposições.

Valorização

A beleza e durabilidade das telhas de concreto valorizam o seu imóvel.

Qualidade

Nossas telhas estão em conformidade com a certificação ABNT NBR 13.858-2:2007.

Durabilidade

Garantia de fábrica de 25 anos.

Confiança

Controle rigoroso de qualidade.

PRODUTOS

TELHAS COLORIDAS

Cinza Pérola

Canela

Colonial

Damasco

Cerâmica

Champagne

Marrom

(Somente para linha Premium)

Grafite

Dados Técnicos
Dimensões:42 x 33 cm
Dimensões úteis:32 x 30 cm
Peso nominal:4,7 kg
Consumo:10,4 un/m²
Sobreposição mínima:10 cm
Resistência mínima:240 kg
Peso m²:48,8 kg
Inclinação mínima:30%
Espessura:1,2 cm

TELHAS ESPECIAIS

LINHA PREMIUM

A linha Premium contém uma camada de verniz acrílico de alta durabilidade, que impede por completo o aparecimento de eflorescência e garante um telhado limpo por mais tempo.

ACABAMENTO

ACESSÓRIOS

Telha Terminal Esquerda

Telha Terminal Direita

Cumeeira/Espigão

Espigão Inicial

Saída para Espigão 2

Saída para Espigão 4

Capa Lateral

Pigmentos para Argamassa

MAIS INFORMAÇÕES

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Sobreposição

O recobrimento longitudinal (sobreposição da telha) é de, no mínimo, dez centímetros (10cm), já considerado no cálculo de consumo de 10,5 telhas/m2 (nunca utilize recobrimento menor).

Cumeeira

 

A sobreposição da cumeeira é de, no mínimo, 7cm. É muito importante que, no emboçamento, a argamassa utilizada fique protegida pela cumeeira; isso significa que a massa não deve ficar exposta a intempéries. O uso do pigmento na massa proporciona uma grande melhoria no aspecto visual.

Capa Lateral

 

Usada para dar acabamento na lateral do telhado, sendo colocada sobre a telha e a tabeira.
Este acabamento elimina utilização de arremate metálico.

Emboçamento

Veja as informações básicas e necessárias para execução do emboçamento:

Antes de iniciar o emboçamento das cumeeiras e espigões, deve-se verificar se o madeiramento, item sarrafos da cumeeira, está executado de acordo com as especificações da NBR 13.858-1:Projeto e Execução de Telhados.

Os sarrafos da cumeeira/espigão devem estar corretamente distanciados e fixados entre 4 e 6cm, medidos da parte superior dos sarrafos.

Mostrar a distância correta

Forma incorreta, distância entre os sarrafos, maior que 06cm.

Os sarrafos distanciados incorretamente, como mostra a imagem 02, faz com que as telhas da linha de cumeeira fiquem distantes umas das outras, impossibilitando a sobreposição necessária de 08 cm da cumeeira á telha, tornando difícil a execução do emboço e provocando, posteriormente, vazamentos.

Iniciar a colocação de telhas seguindo a orientação do catálogo Tegobras.

Ao se mostrar o outro pano do telhado, observar como as telhas da linha da cumeeira estão próximas umas das outras.

Para iniciar o emboçamento é interessante que o telhado já esteja liberado de outros trabalhos, como colocação de rufos, antenas, aquecedores solar e outros. Após isso feito, iniciar o emboço de peças complementares.

Para melhorar o visual é necessário utilizar pigmento Tegobras na massa de emboço. Iniciar a colocação de massa deixando a ponta da telha limpa, ou seja, sem massa.

Iniciar a colocação da cumeeira/espigão fazendo com que se assente direito sobre a telha, diminuindo, assim, a quantidade de massa utilizada. Antes de assentar a próxima cumeeira/espigão, colocar um cordão de massa no meio da sobreposição.

A sobreposição das cumeeiras/espigão deve ser no mínimo de 7cm.

Nunca preencher com massa, o espaço entre as duas telhas da linha de cumeeira, como mostra a imagem 07. Isso provoca, por capilaridade, retorno de água pela massa e causa vazamentos na linha de cumeeira/espigão.

Executar o procedimento correto até o final da linha de cumeeira ou até que a massa esteja a ponto de ser recortada. 

Recortar a massa chanfrada para dentro, de forma que, ao olhar o telhado por cima, só veja a cumeeira/espigão (imagem 09). Assim, a massa fica protegida, evita-se vazamentos pela capilaridade da massa e melhora o aspecto visual do emboçamento e do telhado.

vista por cima 

vista lateral

RESUMO:

Para um bom emboçamento, utilizar: 20kg de areia média ou fina para cada 5,5kg de cimento cinza para as telhas coloridas; ou, 5,74kg de cimento branco para as telhas champagne, pêssego e verde real; e, pigmento Tegobras. Na telha pérola não é necessário adicionar pigmento.

Modo de Preparar
Misturar primeiro a areia e o cimento. Adicionar 1/6 do pacote de pigmento Tegobras e misturar novamente. Adicionar água, deixando a massa com consistência, de maneira que não escorra, evitando assim que as telhas fiquem sujas.
Essa quantidade dá para o emboçamento de 06/08 cumeeiras/espigão e peças complementares.
No espigão deve-se fazer o recorte das telhas, deixando-as bem próximas umas das outras, de modo que a peça espigão cubra ao mínimo 8cm da telha recortada, para evitar vazamento. Para executar o emboçamento é necessário observar se as telhas estão colocadas de acordo com as normas Tegobras, contidas no Manual Técnico.

O emboçamento deve ser feito da seguinte forma:

Distribuir as peças de forma que fiquem próximas da área de utilização, já prevendo, no final da linha de cumeeira/espigão, a sobreposição adequada de 7cm ou mais, para evitar um corte desnecessário nas peças.

Colocar a massa, deixando sempre a ponta da telha limpa.

Assentar a cumeeira/espigão, de maneira que fique encostado na telha.

Colocar um cordão de massa de 2cm de largura no meio da sobreposição das cumeeiras/espigão, que será coberta pela outra cumeeira/espigão.

A ponta da cumeeira/espigão deve ficar sem massa.

Assentar as demais cumeeiras/espigão, seguindo este procedimento até que a primeira esteja com a massa enxuta, ao ponto de recorte.

Recortar a massa chanfrada para dentro.

Limpar o excesso de massa para não sujar as telhas.

Tempo para secagem em torno de 8 horas.

Nunca pise nas telhas próximas à linha da cumeeira/espigão e da água furtada.

Para maiores informações consulte o Departamento Técnico da Tegobras – (14) 3282-1285.

Posicionamento dos Sarrafos

INSTRUÇÕES
A galga inicial é de 29cm, medidos da face do sarrafo duplo ou testeira atá a face superior do segundo sarrafo. Essa galga só muda se, por algum motivo, as telhas não puderem ficar com a pingadeira correta. Ex.: utilização de calhas.

Os sarrafos superiores, da cumeeira, são posicionados com 4-6cm de distância entre eles, considerando-se a parte superior do sarrafo. No caso de um pano de telhado junto à platibanda, deve-se deixar 2,5cm a 3cm entre a parte superior do sarrafo e a platibanda já rebocada.

A galga intermediária ideal é de 32cm, porém, pode ser mudada (sempre para menor), para evitar corte nas telhas junto a uma platibanda ou cumeeira, bem como para evitar que, na montagem do telhado, a última telha se sobreponha mais que a outra, nos casos em que não se deseja cortá-las.

Como calcular a galga intermediária
1 – Colocar os sarrafos ou testeira da galga inicial.

2 – Colocar os sarrafos da cumeeira ou platibanda.

3 – Medir da face superior do segundo sarrafo até a face superior do sarrafo da cumeeira ou platibanda.

4 – Dividir essa medida por 32cm, que é o comprimento útil da telha (já descontada a sobreposição). O número encontrado corresponde à quantidade de telhas da faixa do telhado. Este número deve ser arredondado para maior. 

5 – Dividir a mesma medida por esta quantidade de telha.

6 – O resultado é a galga intermediária.

Para maiores ou outras informações ligue para o Departamento Técnico da Tegobras – (14) 3282-1285.

Estudo da Calha

Nas várias regiões do Brasil, é comum que as obras executadas com água furtada, com vários tipos de telhas, utilizem ainda o mesmo sistema dos tempos em que as telhas tinham perfis mais baixos e inclinações mais elevadas. Isso, na atualidade, ocasionam, dificuldades de colocação, especialmente no que se refere ao encaixe, à fixação de telhas e pedaços e às quebras, visto que as telhas estão apoiadas em superfícies irregulares.

Os técnicos da Tegobras, estudando essa situação para tentar amenizar o problema, chegaram à conclusão de que se o sarrafo da calha fosse levantado na parte maior e zerado na parte menor da telha, o problema não mais existiria. Porém, cientes de que na obra esta execução é difícil, elaboraram um pequeno telhado, fazendo uma compensação dessa situação.

A execução se torna mais fácil quando se interrompe os sarrafos que recebem as telhas antes de chegarem até a viga central da água furtada, que serve de apoio dos caibros, e se coloca um sarrafo pregado de topo, nos que recebem a telha, com 1cm mais alto para receber a calha metálica. Esta deve ser dobrada, acompanhando a medida do sarrafo, e com um vinco no meio.

A Figura 1 mostra que os sarrafos de apoio das telhas não chegam até a viga da calha.

A Figura 2 mostra os dois sarrafos já fixados e dimensionados para receber a calha metálica.

A Figura 3 mostra a calha metálica apoiada sobre os sarrafos e com o vinco no meio.

A Figura 4 mostra uma telha já cortada. Como medida de segurança e para evitar a sedimentação do pó na telha, o corte não deve ser feito na cobertura. Um eventual pedaço de telha, que não tenha apoio nos sarrafos, deve ser fixado na telha, do lado, por meio de adesivos, para que não escorregue na calha.

A Figura 5 mostra o pano de telhado já recortado e alinhado, dando um bom efeito visual. Deixar em torno de 10-15cm entre as telhas da água furtada.
Evitar pisar nas telhas da água furtada, pois elas nunca ficam totalmente apoiadas.

Cálculo da Galga

INSTRUÇÃO PARA POSICIONAMENTO DOS SARRAFOS
A galga inicial é de 29cm, medidos da face inferior do sarrafo duplo ou testeira até a face superior do segundo sarrafo. Essa galga só muda se, por algum motivo, as telhas não puderem ficar com a pingadeira correta. Ex.: utilização de calhas.

Os sarrafos superiores, da cumeeira, são posicionados com 4-6cm de distância entre eles, considerando-se a parte superior do sarrafo; no caso de um pano de telhado junto à platibanda, deve-se deixar 2,5cm a 3cm entre a parte superior do sarrafo e a platibanda já rebocada.

A galga intermediária ideal é de 32cm, porém, pode ser mudada (sempre para menor), para evitar corte nas telhas junto a uma platibanda ou cumeeira, assim como também para evitar que, na montagem do telhado, a última telha se sobreponha mais que a outra, no caso de não se desejar cortá-la.

 

Como calcular a galga intermediária

1 – Colocar os sarrafos ou testeira da galga inicial.
2 – Colocar os sarrafos da cumeeira ou platibanda.
3 – Medir da face superior do segundo sarrafo até a face superior do sarrafo da cumeeira ou platibanda.
4 – Dividir essa medida por 32cm, que é o comprimento útil da telha (já descontada a sobreposição). Obtêm-se o número encontrado corresponde à quantidade de telhas da faixa do telhado. Este número deve ser arredondado para maior. 
5 – Com o número. Dividir a mesma medida por esta quantidade de telha.
6 – O resultado é a galga intermediária.

Para maiores informações ligue para o Departamento Técnico da Tegobras – (14) 3282-1285.

Cálculo das Telhas

Método Básico

%GrausFator%GrausFator%GrausFator
3016°42′1,0443720°18′1,0665026°34′1,118
3117°13′1,0473820°48′1,0705528°48′1,141
3217°44′1,0503921°18′1,0736030°57′1,166
3318°15′1,0534021°48′1,0777034°59′1,221
3418°46′1,0564323°16′1,0898038°39′1,281
3519°17′1,0594524°13′1,0979041°59′1,345
3619°48′1,0634725°10′1,10510045°00′1,414

 

Multiplicando a área plana da cobertura pelo fator correspondente da inclinação, obtem-se a área inclinada. Multiplicando a área inclinada por 10,5 encontra-se a quantidade de telhas. Deve-se aumentar 3% por se tratar de um método básico.

Método Técnico (faixa x fiada)

Cálculo das Faixas
Toma-se a medida A, multiplica-se pelo fator correspondente da inclinação (ver Tabela acima), e obtem-se a medida B. Divide-se o valor obtido pelo comprimento útil da telha (32cm) que e o resultado será na a quantidade de telhas da faixa.

Cálculo da Fiada
Tabela 1 – Utilizada para cálculo das telhas na fiada

Esta tabela determina a quantidade de telhas para as diversas larguras de telhados. Se a largura do telhado não estiver compreendida nesta tabela, considera-se um múltiplo de 30cm de largura útil da telha, mais 33cm de largura total da telha.

Ex.: 5 telhas x 30cm + uma telha de 33cm = 183cm de largura.

Tabela 2 – Utilizada para cálculo das telhas na fiada (incluindo telha terminal esquerda e direita)

Esta tabela determina a quantidade de telhas para diversas larguras de telhado, incluindo uma telha terminal esquerda e uma telha terminal direita. Se a largura do telhado não estiver compreendida nesta tabela, considera-se um múltiplo de 30cm de largura útil da telha, mais 25cm da telha terminal esquerda mais 16cm da telha terminal direita.
Ex.: 4 telhas x 30cm + uma telha terminal esquerda 25cm + uma telha terminal direita 16 cm = 161cm de largura.

Utilizando-se as telhas terminal esquerda e direita, com acabamento sobre a tabeira (ou testeira), pode-se eliminar o uso de arremates metálicos. Multiplicando-se o resultado da faixa pelo resultado da fiada, obtem-se a quantidade de telhas do pano.

Gráfico de Inclinação x Pano

Madeiramento

A parte estrutural deve ser executada por profissionais, seguindo-se os padrões normais. Não é necessário reforço no madeiramento, pois o peso por metro quadrado é de apenas 48,8Kg.

Terças: viga de 6x12cm, espaçada no máximo em 150cm
Caibros: peça de 5x6cm, espaçada no máximo em 50cm
Sarrafos: peças de 5x2cm, espaçadas no máximo em 32cm, medidos da face superior do sarrafo seguinte.

Galga Inicial
Sempre medida da parte inferior do primeiro sarrafo ou tabeira até a parte superior do segundo sarrafo. Desta forma, o sistema de pingadeira da telha Tegobras impede o retorno da água na tabeira ou beiral.

Sarrafos da Cumeeira
Medidos sempre da parte inferior, permitem que as telhas fiquem próximas, dando um bom assentamento da cumeeira. O emboçamento é feito com massa fraca de cimento e chanfrado para dentro.

Galga Intermediária
A galga máxima é de 32cm. Pode-se diminuí-la para evitar o corte desnecessário das telhas no final de um pano de telhado. Seguindo esta galga, as telhas ficam com a sobreposição mínima de 10cm.

 

Informações Úteis

TELHADOS FLEXIONADOS
(corda bamba)
Nos telhados flexionados a inclinação, no primeiro metro, será obrigatoriamente de, no mínimo, 30% para panos de até 7 metros de comprimento.

REFORMA DE TELHADOS
Na substituição de outras telhas por produtos Tegobras, é importante verificar antes se as inclinações e especificações da estrutura obedecem ás exigências da Tegobras.

VENTOS
Apesar das telhas Tegobras resistirem à ação dos ventos, recomendamos a fixação das telhas do beiral em regiões montanhosas ou sujeitas a ventos fortes.

ARMAZENAMENTO
É necessário um lugar plano, nivelado e preparado com uma camada de areia, evitando que as telhas estocadas sujem em contato com a terra ou barro.

CORTE DOS PRODUTOS
Por medida de segurança e para não haver sedimentação do pé proveniente do corte nas telhas já colocadas, recomenda-se que os cortes sejam feitos no chão. A utilização de equipamentos de segurança é uma medida indispensável.

Endereço:

Rua Dr. Antônio Luiz Gomes dos Reis 100
Centro - Duartina/SP
CEP: 17470-000

Telefones:

(14) 3282-1285
(14) 97400-2202 (WhatsApp)

Horários:

segunda a sexta: das 8h às 18h

Entre em contato